domingo, 8 de agosto de 2010

ELA

Hoje abensonhei rios
Todos os rios da minha vida
Mapa mundo hidrográfico
Saliente, correndo no corpo dela
Marcando montanhas e desfiladeiros
Veias
Rios na pele nua, macia
Voando velozes em turbilhão
Na correnteza, palavras e paixões
Cálidas, lentas, de bemquerer
Circulando cores e aromas
Em todos os tons de amorazul
Hoje abensonhei portas destrancadas
Entreavistei alucinações, delírios
O corpo nu há muito desejado
E janelas abertas no céu
Na madrugada de dias nascendo
Flutuam atois, ancorados
Na dádiva de um grande amor
Hoje abensonhei procuras incessantes
Envolvi cazumbis, tchinganges e feiticeiros
Ofereci tudo o que me resta a Kianda
Finalmente sei o seu nome verdadeiro
Vem Mahe
Porque eras tu
Porque era eu
Vem

GED

1 comentário:

Ma Ferreira disse...

Como o amor é lindo.
Lindo Poema.
Adorei!!

Ma