domingo, 29 de agosto de 2010

VENTOS

Convoco os grandes ventos de norte e sul
Na esperança de um grande mar
Em todos os tons de azul
Mar de muitas correntezas e velas
Asas brancas tingindo até ao infinito
Zarpar sem olhar para trás
Enquanto o sal não seca no corpo
E a pele ainda sabe a mar
Mirando a linha do horizonte
Até doerem os olhos, de muita luz.

GED

1 comentário:

Ma Ferreira disse...

Henrique adorei sua poesia!!

Tocou meu coração!!

Bj

Ma